Quem Te Viu, Quem TV

Neste seu artigo para o Jornal O Serrano, Henrique Vieira Filho nos fala sobre a importância do audiovisual, conta de suas experiências televisivas e brinca com o ator Paulo Gustavo sendo o santo padroeiro dos cineastas.

Publicado resumido no Jornal O SERRANO, Nº 6378, de 27/10//2023

“São Paulo Gustavo - Protetor Dos Cineastas” - Ilustração: Henrique Vieira Filho
“São Paulo Gustavo – Protetor Dos Cineastas” – Ilustração: Henrique Vieira Filho

Hoje, 27 de outubro, celebramos o Dia Mundial do Patrimônio Audiovisual!

A união de som, imagem e movimento gera um dos instrumentos mais atrativos e completos para divertir (filmes, séries), transmitir conhecimento (video-aulas) e registrar fatos, história e cultura, disseminando a informação para a sociedade e preservando para futuras gerações (documentários). 

Com a tecnologia cada vez mais acessível, boa parte da população se tornou “cineasta de rede social”, pois, com um celular, acesso à internet e criatividade, seu vídeo pode alcançar o mundo!

No cenário profissional ainda há inúmeros idealistas, que mesmo sem verba (não raro, colocam dinheiro do próprio bolso), se propõem a realizar documentários, curtas metragens e até filmes.

Claro que se tivessem um patrocínio, fariam muito mais e melhor, por isso, todos sonhamos com aprovação em editais públicos, como os promovidos pela Lei Paulo Gustavo. 

E, antes que alguém imagine um orçamento “hollywoodiano”, se fosse distribuído igualmente entre todos os concorrentes, mal daria para tomar um café.

A verba que o governo federal irá disponibilizar para cada cidade do Circuito Das Águas não cobriria sequer a produção de um único capítulo de novela televisiva! Sei bem dos custos, pois já tive quadro semanal fixo na TV Mulher.

Em minha experiência audiovisual, já fiquei de frente com Gabi (Marília Gabriela), levei um beijo do Gordo (Jô Soares), passei tardes com Claudete Troiano (Gazeta), festejei e bailei com Agnaldo Rayol (TV Cultura) e até consegui pontos extras para o Gugu junto ao Ibope: a entrevista prevista para durar 10 minutos se transformou em 40, pois os gráficos de audiência continuavam subindo.

E se for para enfeitar ainda mais o currículo, posso afirmar que já fui campeão de audiência, com 100% dos espectadores: discursei em rede nacional de rádio e televisão, em prol de boas causas.

Depois de tantas aventuras televisivas, apelo ao fato que também sou filho de dona Hermínia (pior que é verdade!) e rezo a “São Paulo Gustavo” que conceda a graça de uma singela verba aos documentaristas serranos (me incluo nesta).

“Quem te viu, quem TV”,  senhor Henrique…

Citation

Vieira Filho, H. (2023). Quem Te Viu, Quem TV. Jornal O Serrano, CXV(6378). https://doi.org/10.5281/zenodo.10035119